II – DIMENSÃO: ENSINO DE EXCELÊNCIA E INCLUSIVO

Atualizado: 7 de jun.


EIXO 1 – Ensino de Graduação Um dos principais desafios na área de Ensino de Graduação é a articulação das políticas acadêmicas com a Pós-graduação e sua integração com a Pesquisa e a Extensão. Não há dúvida que o Ensino de Graduação é um dos principais motivos da existência da Universidade Pública brasileira. Hoje, a UFF é uma das maiores universidade do país em número de estudantes de graduação, cujos números foram multiplicados na gestão 2006-2014. Mas, precisamos manter a qualidade do Ensino de Graduação e, para isso acontecer, há necessidade de permanente melhoria das condições de ensino na UFF. A busca de recursos financeiros é necessária para que a UFF continue formando profissionais capacitados para as diversas áreas do setor produtivo do nosso Estado, contribuindo para o desenvolvimento do nosso país. NOSSAS PROPOSTAS, NOSSOS COMPROMISSOS: ◊ Criar o Congressos de Graduação da UFF, um espaço para apresentação de práticas didático-pedagógicas, experiências e debates onde os docentes, dirigentes, pesquisadores e estudantes determinem os rumos e as diretrizes para o Ensino de Graduação na UFF; ◊ Apoiar os cursos de graduação da Unidade para consolidação da infraestrutura (salas de aula, laboratórios, equipamentos), além da atualização das bibliotecas e a permanente qualificação/capacitação dos nossos docentes; ◊ Estimular a realização de estágios e intercâmbios nacionais, firmando parcerias com as Prefeituras e as empresas das áreas específicas para ampliação de estágios remunerados para os estudantes da UFF; ◊ Implantar e implementar a Bolsa de Apoio ao Ensino visando estudantes dos cursos de Licenciatura (Pedagogia, Letras, Matemática, Física, História, Filosofia, Educação Física, Biologia, Química, Geografia), com a devida atualização dos seus valores financeiros; ◊ Rever os contratos de estágios com a Fundação Municipal de Saúde e HUAP, referente a ofertas de vagas e preceptorias, considerando a redução de ofertas de vagas nas unidades básicas para estudantes da UFF (especialmente, estudantes de enfermagem, em detrimento de ofertas de estágios para a rede privada); ◊ Implantar programa de intercâmbio científico (com bolsas) com as universidades estrangeiras para estudantes de graduação concluintes de cursos; ◊ Implementar um levantamento dos cursos de graduação que estão com notas inferiores a 5 (cinco), identificar os fatores desencadeantes e instituir uma política institucional de apoio pela formação de uma rede colaborativa para a melhoria desses cursos de graduação; ◊ Desenvolver estudos permanentes das causas de evasão e retenção nos alunos na Universidade; ◊ Promover ações de integração entre a graduação, pós graduação lato sensu e stricto sensu ◊ Modernizar o sistema de comunicação e informática, acessibilidade, restaurante universitário para os estudantes; ◊ Reforçar e avançar quanto ao Acolhimento estudantil e quanto ao apoio psicológico ao estudante recém-chegado à UFF; ◊ Instituir na PROGRAD e na PROPPI um sistema de acompanhamento e monitoramento dos egressos de graduação e pós-graduação. ◊ Manter para a administração interna, no âmbito do Sistema de Avaliação Institucional (SAI) um comparativo entre as metas esperadas e as metas obtidas em cada ano. Tais metas se orientariam em função dos seguintes indicadores: sucesso escolar, custo-aluno, Nota no IGC e relação aluno-professor. ◊ A partir dos indicadores, instituir (com previsão no PDI) nas Comissões Próprias de Avaliação (CPA) um programa de análise das métricas do ensino de graduação e pós-graduação. ◊ Utilizar esses resultados como indicadores para formulação dias políticas de qualidade educacional. ◊ Instituir na Graduação e na Pós-graduação conselhos de ensino. Tais conselhos atuariam como órgãos consultivos para coordenações de curso, chefias departamentais e direções de unidade auxiliando na tomada de decisões. Tais conselhos com mandato de dois anos teriam composição de alunos, técnicos-administrativos, docentes, alunos, membros dos NDE de cada curso e representantes das Comissões Permanentes de Ações Afirmativas. ◊ Fomentar o contato entre coordenadores de curso, chefias departamentais e direções de unidade com a Procuradoria Institucional da UFF (talvez via criação de um boletim semestral emitido por esse órgão) com pelo menos uma reunião anual com esse órgão de modo a integrar a avaliação institucional da Graduação (SINAES e seus desdobramentos como IGC e Enade) e Capes. Bibliotecas e arquivos da UFF ◊ Apoio para realização de treinamento/capacitação/atualização contínua dos usuários e equipe das bibliotecas/arquivos; ◊ Criação de um setor de apoio à elaboração de projetos. ◊ Promover visitas técnicas regulares e apoio às unidades fora da sede. ◊ Implementação de um plano permanente de manutenção das unidades (estrutura física, acervo, mobiliários e equipamentos), além de apoio financeiro para aquisição de materiais necessários para o funcionamento das bibliotecas/arquivos. ◊ Avaliação MEC (adequação do espaço, equipamentos, acervo). ◊ Criar Comissões de Bibliotecas em todas as unidades. ◊ Buscar uma solução para a ausência de gratificação (FG) para as chefias das Bibliotecas da UFF; EIXO 2 – Ensino de Pós-graduação A rigidez da matriz curricular da graduação ainda não proporcionou aos estudantes uma matriz curricular flexível que leve em consideração as capacidades e necessidades especificas do seu corpo de estudantes. A pós-graduação avançou muito mais nessa questão, pois suas disciplinas são dinâmicas e se adequam às pesquisas nas áreas de fronteira das ciências e humanidades realizadas pelos professores. Apesar de ser inadequado separar a criação de conhecimento, em particular nos programas de pós-graduação, da sua divulgação e do ensino, ter um plano de ação articulado e coordenado pela universidade é fundamental para reconhecimento nacional e internacional dos nossos cursos de graduação e programas de pós-graduação. NOSSAS PROPOSTAS, NOSSOS COMPROMISSOS: ◊ Estimular avanços nos cursos de pós-graduação stricto sensu, que precisam melhorar de notas, de modo colaborativo e resolutivo; ◊ Estreitar os laços da pós-graduação com instituições de renome internacional para o avanço científico e tecnológico da UFF; ◊ Buscar maior articulação com as agências de fomento CAPES, CNPq e FAPERJ; ◊ Orientar os novos interessados de diferentes áreas do conhecimento em criar programas de pós-graduação de modo a alcançar a aprovação junto à CAPES; ◊ Discutir amplamente os critérios de avaliação da pós-graduação nas e atuar visando ao aperfeiçoamento do processo de avaliação; ◊ Promover reuniões temáticas com os Programas e Cursos de PG das diferentes áreas da CAPES, visando à implantação de políticas Institucionais que culminem com o fortalecimento dos mesmos; ◊ Incentivar maior intercâmbio entre os Programas de Pós-graduação da UFF Com outros Programas do Brasil e do exterior, visando a ampliar a mobilidade estudantil e o reconhecimento internacional dos cursos; ◊ Apoio a uma maior integração dos programas de pós-graduação, ampliando as formações transversais e multidisciplinares, e incentivando a criação de programas em áreas estratégicas para o estado e o país; ◊ Dar maior apoio administrativo para todos os programas de pós-graduação, incluindo suporte para auxiliar na elaboração do relatório Capes, na gestão dos recursos financeiros e na informatização; ◊ Promover ações para apoiar programas de pós-graduação consolidados para que atinjam patamares crescentes de qualidade e ampliem a sua atuação internacional e ações específicas para a melhoria dos programas com conceitos ainda não consolidados. EIXO 3 – Assistência Estudantil A assistência estudantil tem por objetivo promover ações de modo a contribuir para superação de obstáculos que impeçam ou dificultam o desenvolvimento acadêmico dos estudantes de camadas da população mais desprovidas de capital econômico, social e cultural. Ações estas, que proporcionem os recursos para o atendimento de suas necessidades que vão desde a moradia, alimentação, transporte, saúde, esporte, lazer, até os recursos pedagógicos necessários à sua formação acadêmica e cultural. Quando foi Reitor da UFF entre 2006-2014, Roberto Salles implantou muitos programas para os estudantes, dentre eles destacamos: O Programa de Acolhimento Estudantil, Programa Pró-Aluno, Programa Bolsa Apoio ao Estudante Estrangeiro, Programa Bolsa de Apoio ao Estudante com Deficiência, Programa Bolsa de Apoio Emergencial, Programa de Apoio Transporte, Programa Auxílio Alimentação para os Estudantes das Unidades Acadêmicas fora da Sede, Programa Auxílio Creche, Programa Auxílio, Programa Bolsa de Desenvolvimento Acadêmico, Programa Material Didático, Programa Bolsa Atleta, Programa Infraestudantil, Programa Práticas Artísticas e Programa Produtos Estudantis. Além desses programas de bolsas, ele criou o Programa de Residências estudantis: Moradia Estudantil do Campus do Gragoatá (Niterói) e Moradia Estudantil do Campus de Rio das Ostras (PURO). Também implantou um Programa de Restaurantes 6 (seis) universitários, quando os reformou e modernizou, sendo 2 (dois) no Campus do Gragoatá, 1 restaurante na Reitoria, 1 na Faculdade de Veterinária, 1 no Campus da Praia Vermelha e 1 no Hospital Universitário Antonio Pedro; criou o transporte intercampi, conhecido como BusUFF, circulando em Niterói, Volta Redonda, Rio das Ostras e em Santo Antônio de Pádua. Além dessas ações estruturantes, ele criou/implantou tantas outras conquistas voltadas ao pleno desenvolvimento acadêmico dos estudantes, tais como: aquisição de acervo bibliográfico e de software para automação dos serviços das bibliotecas; o PULE, programa de universalização de línguas estrangeiras; o Programa de Mobilidade UFF, o Programas de Mobilidade em parceria com o Santander, o BRAMEX (Brasil-México), o PMM (Programa de Mobilidade Mercosul), a MARCA (Mobilidade Acadêmica Regional para Cursos Acreditados), o Ciência sem Fronteiras, o Programa de Mobilidade para América Latina, PAEC – OEA (Programa de Alianças para Educação e Capacitação); a construção do complexo esportivo, com piscina, prédio com vestiário, salas de aparelhos e multidisciplinar e quadra esportiva; e a implantação da carteirinha eletrônica consolidando a identidade do estudante da UFF. No entanto, a evolução das políticas sociais e as transformações em curso nas universidades, ratificam ainda mais a importância de se ter um olhar atento para a realidade atual. Assim, na Gestão Roberto Salles 2022-2026 propomos a implantação de novos programas e a realização de estudos e avaliações que possibilitem o aperfeiçoamento e a construção de novas práticas de apoio estudantil na perspectiva de garantir o acesso, a permanência e a conclusão do curso com êxito. NOSSAS PROPOSTAS, NOSSOS COMPROMISSOS: ◊ Promover programas que contribuam para a democratização do acesso, que contribuam para a permanência qualificada do estudante e a conclusão do curso com êxito; ◊ Garantir que todos os estudantes com o perfil socioeconômico especificado pelo Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES) sejam apoiados através dos programas sociais da UFF; ◊ Fortalecer os programas e projetos sociais de apoio aos estudantes já existentes; ◊ Criar espaços de convivência, que promovam a integração social e cultural, que incentivem o debate, a discussão, a troca de ideias, de conhecimentos, que seja um espaço plural e que contribuam para a aquisição de capital cultural; ◊ Criar nos campi espaços vinculados às Bibliotecas com equipamentos de informáticas que possibilite ao estudante o acesso ao conhecimento e as plataformas de pesquisa; ◊ Realizar avaliações periódicas dos programas sociais e o levantamento das demandas estudantis; ◊ Criar o Conselho Gestor dos recursos da assistência estudantil com representação da PROAES e estudantes usuários dos programas sociais objetivando a avaliação e a validação das políticas de assistência estudantil na UFF e a transparência na aplicação desses recursos; Em parceria com a Graduação, a Pesquisa e a Extensão: ◊ Incentivar o desenvolvimento de programas nos cursos de Graduação que contribuam com o desenvolvimento acadêmico do estudante e o aumento do número de Bolsas PET, Monitoria, Estágio Interno e Iniciação Científica; ◊ Incentivar a implementação de novas metodologias e novas práticas de aprendizagem semipresenciais; ◊ Promover e ampliar parcerias com órgãos de fomentos a fim de incentivar participação dos estudantes em eventos científicos, tecnológicos, culturais, esportivos e de lazer; ◊ Oportunizar ao estudante de alto desempenho na Graduação a possibilidade de cursar disciplinas da Pós-Graduação e essa participação possa isentar o estudante de cursar disciplina da Graduação que tenha conteúdo similar; ◊ Assegurar que atividades culturais, de extensão e esportivas sejam incorporadas como atividades complementares nos projetos pedagógicos dos cursos; ◊ Em parceria com a Superintendência de Arquitetura, Engenharia e Patrimônio: ◊ Construir novas ciclovias nos campi e entre os campi; ◊ Articular parcerias com entidades municipais e empresariais de modo a disponibilizar gratuitamente bicicletas e/ou patinetes elétricos a partir da apresentação da Carteirinha da UFF para utilização em deslocamentos internos no campus e entre os campi.

77 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo